O valor da Geotecnia na Construção Civil


Postada em 27/04/2018 às 12:06


O valor da Geotecnia na Construção Civil

 Trata-se da forma como o solo e as rochas se comporta decorrente às ações do homem. Lembrando também que sem o conhecimento geotécnico, não temos nenhuma construção.

 

 

 A geotecnia é extremamente fundamental para termos ciência das especificidades do solo e como ele se comporta. Em água passadas, você já deve ter ouvido falar que quando o terreno é bom, não carece de sondagem, o que é inadmissível.

 Na engenharia civil, o solo é a base das construções, sendo utilizados em aterros compactados para as mais diversas finalidades. É visto como um material heterogêneo, com atributos variáveis. Seus comportamentos às tensões, em especial à compressão, não são variáveis, o que pode afetar grandiosamente as suas reações; e anisotrópico, suas propriedades e materiais que o integram não são equivalentes, logo ele é não-linear.

 Para solução de impasses na construção civil, o solo é a ferramenta de estudo do engenheiro geotécnico. Há diversas metodologias de apurar os subsolos, mas no Brasil o mais utilizado é a sondagem SPT, conhecida popularmente como sondagem de percussão.

 Se obtém grandes informações, mediante essa sondagem, como por exemplo o perfil do solo metro à metro, o nível do lençol subterrâneo – fator da resistência dos solos –, e a definição da resistência do solo às tensões.

 Com essas propriedades em mãos, o engenheiro já pode tomar decisões de projetos e sua execução mais eficaz, precisa, segura e econômica, como por exemplo o posicionamento adequado da edificação no terreno e suas fundações.

 

O mérito da geotecnia

 Com a pequena prévia acima, nós já sabemos que a geotecnia é a área da engenharia civil que analisa os solos e rochas, e como as mesmas reagem aos desempenhos do homem. Porém nos últimos anos, a causa ambiental tem gerado grandes angústias, assim, a geotecnia e suas vertentes, vem ganhando cada vez mais espaço nos seguintes quesitos:

1 - Precaução de desabamentos;
2 - Precaução de desmoronamentos;
3 - Precaução de deslizamentos;
4 - Conservação dos lençóis freáticos;
5 - Gestão do problema do lixo;
6 - Conter a ocupação das encostas.

 Esses são alguns dos projetos que a geotécnia pratica. O ideal é sempre eliminar e reduzir essas situações de maneira sustentável e segura para a sociedade, sem que degrade o meio ambiente. Sendo necessário de uma forma ou de outra deter de conhecimento geotécnico de uma área, para que assim não venha a ter demais problemas.

 As apurações geotécnicas que ocorre antes do projeto e o plano de obra, que venham a se prolongar na temporada de obra e na própria operação do empreendimento, são de responsabilidade maior da Geologia de Engenharia, sendo vista como a área de aprendizado responsável pela intervenção tecnológica do homem com o meio físico geológico.

 A função primordial da geotecnia, é proporcionar ao projetista, o quadro exato dos fenômenos geológico-geotécnicos que podem possivelmente ser esperados da interação entre as demandas próprias da obra que será estabelecida e as características geológicas (processos e materiais) dos terrenos que serão por ela abalados.

“A geotecnia tradicional sempre trabalhou com a intervenção no meio ambiente, mas sem a prevenção específica de evadir ou remediar os problemas gerados pela ação antrópica, que é o que faz especificamente a geotecnia ambiental”, Fernando Marinho, professor da Escola Politécnica da USP, ainda acrescenta: “a área exige ação multidisciplinar. É o caso, por exemplo, da disposição de resíduos domésticos e industriais – assunto pesquisado pelas duas escolas: a atuação em conjunto com biólogos, químicos e geólogos é quase sempre necessária”.

 Se torna claro que, todo estímulo especulativo tem de ser conduzido, desde o primeiro instante, para que, na finalização, tenha um quadro fenomenológico real, promovendo, examinando com exatidão, descartando e comprovando hipóteses fenomenológicas.

 

 

Referência: mapadaobra.com.br