Fundações rasas e profundas: como escolher o tipo certo para sua obra?


Postada em 25/04/2019 às 08:00


Fundações rasas e profundas: como escolher o tipo certo para sua obra?

Rasas ou profundas, elas servem como elementos estruturais em uma construção

 

Por Cláudia Ferreira

 

As fundações podem ser dividas em duas categorias: fundações rasas (diretas ou superficiais) e fundações profundas (indiretas). Apesar de possuírem algumas diferenças, estes elementos estruturais possuem a mesma função: receber as cargas oriundas da superestrutura de uma edificação e transmiti-las ao solo. No post de hoje nós falaremos um pouco mais sobre cada uma delas, como suas principais características e vantagens. Confira!

 

Fundações Rasas

As fundações rasas são aquelas em que a carga é transmitida ao solo por meio de elementos superficiais, sem a necessidade de equipamento de grande porte para a cravação ou escavação de seus componentes. 

Estas fundações são executadas nas primeiras camadas, geralmente a uma profundidade de até duas vezes a sua menor dimensão em planta, ou no máximo três metros de altura, por isso, normalmente, é realizada de forma manual.

Existem quatro tipos de fundações rasas: sapatas (corridas e associadas), vigas de fundação ou baldrame, blocos e radier.

 

 

 

Sapatas

As sapatas são elementos de fundação caracterizados pelo uso de concreto armado. A sua base em planta pode ter formato quadrado, retangular ou trapezoidal. Geralmente são recomendadas para solos com boa capacidade de suporte e possuem três tipos: as corridas, as associadas e as alavancadas.

Sapatas corridas: são utilizadas quando há a presença de uma carga distribuída linearmente pela fundação, como muros, paredes e outros elementos alongados.

Sapatas associadas: conhecidas também como radier parcial, estas sapatas são comuns a vários pilares cujo centro não está alinhado em planta, por falta de espaço ou opção estrutural.

Sapatas alavancadas: a sapata alavancada é utilizada quando a base da sapata não coincide com o centro de gravidade do pilar por estar próximo a alguma divisa ou outro obstáculo.

 

Baldrames

Os baldrames ou vigas de fundação são elementos de fundação rasa comum a vários pilares cujo centro está alinhado na planta. Quando alinhado, os baldrames dividem a estrutura e podem ou não estar abaixo do nível do terreno.

Presentes em quase todas as construções, os baldrames são feitos de concreto armado e são estruturas fundamentais para as construções, até porque são através destas vigas que as paredes de uma obra são erguidas.

 

Blocos

Os blocos são elementos de fundação superficial, caracterizados pelo uso exclusivo do concreto. Nesta fundação não é necessário empregar armadura, pois neste caso somente o concreto consegue resistir às tensões de tração devido ao seu dimensionamento.

Por ser uma fundação rasa, o bloco é recomendado para pequenas obras em solos com boa capacidade de suporte. Podem ser realizados como concreto simples, usinado ou ciclópico.

 

Radier

O radier é uma fundação rasa que se assemelha a uma placa de concreto que abrange todos os pilares da edificação. Feito de concreto armado, o radier é escolhido para fundação de obras de pequeno porte.

O radier apresenta vantagens como baixo custo e rapidez na execução, além de redução de mão de obra, comparada a outros tipos de fundações superficiais rasas.

O radier é executado somente em obras de fundação quando a área das sapatas ocupam cerca de 70% da área coberta pela construção ou quando se deseja reduzir ao máximo os recalques diferenciais.

 

Fundações profundas

As fundações profundas ou fundações indiretas são aquelas executuadas nas camadas mais profundas do solo, em sua grande maioria, são feitas com o auxílio de um equipamento de escavação ou cravação.

Existem três tipos de fundações profundas: estacas, tubulões (a céu aberto ou a ar comprimido) e caixões.

 

Estacas

As estacas são elementos de fundação profunda, executadas por equipamentos e ferramentas, que podem ser cravadas ou perfuradas, caracterizadas por grandes comprimentos e seções transversais pequenas. As estacas podem ser feitas de madeira, aço, concreto pré-moldado, concreto moldado in situ ou mistos.

As estacas podem ser dividas em duas categorias: por material (aço, madeira, concreto ou mista) e por tipo (pré-moldadas, moldadas in loco e mistas).

 

Tubulões

Os tubulões são elementos de fundação profunda, moldados in loco quando as camadas superficiais do solo não apresentam características de resistência e deformidade compatíveis com as exigidas pelo projeto. Podem ser executados a céu aberto, com e sem escoamento, e a ar comprimido, com revestimento metálico ou de concreto.

Tubulão a céu aberto: trata-se de uma fundação profunda, escavada manual ou mecanicamente, em que é empregada acima ou abaixo do lençol freático – neste caso, quando o solo estiver estável e sem risco de desmoronamento.

Tubulão a ar comprimido: são fundações profundas escavadas de forma manual ou mecanizada, abaixo do nível de água. Caracteriza-se pelo uso de revestimento de aço ou concreto e neste tipo de tubulação profunda pode-se encontrar a base alargada ou não.

 

Caixões

Os caixões são fundações de seção retangular com volume muito superior aos tubulões. Os caixões podem ser metálicos ou de concreto armado, e dependendo das suas dimensões, várias câmeras de compressão podem ser previstas.

 

 

 

Para fundações rasas, as características do solo precisam possuir as melhores condições para a sua execução, como areia compacta, argila mole, presença do lençol freático e aterro não compactado. Para fundações profundas, geralmente qualquer tipo de solo serve, de acordo com a segurança e viabilidade técnica e econômica definidas por um engenheiro civil.

 

 

Fonte: Escola Engenharia.